El Camino: A Breaking Bad Story – Crítica

0

Poucas séries são tão amadas e cultuadas quanto Breaking Bad. É considerada por críticos e público como uma das melhores séries de todos os tempos. E não é à toa. Extremamente bem produzida e pensada de seu início ao fim, ela é aquele tipo de show que não tem excessos. Ainda que você (seja louco e) possa não gostar da maneira que terminou, ela acabou no momento em que devia: no seu auge. Breaking Bad não deixou que uma eventual sobrevida, devido ao seu sucesso com o público, acabasse por estragá-la. Daí nos deixou aquele gostinho de quero mais que fez surgir seu spin-off, Better Call Saul, e agora o filme da Netflix, El Camino.

El Camino nada mais é que um presente para os fãs de Walter White e Jesse Pinkman. Repleta de Easter Eggs, personagens conhecidos e aquelas cores e cenários que nos fazem entender que se trata de Breaking Bad logo na primeira cena. Ou seja, se você nunca assistiu a série nem tente assistir o filme, pois não entenderá nada. Ou faça melhor: Assista esse incrível show e depois assista o filme. Conselho de amiga.

Escrito e dirigido pelo criador de Breaking Bad, Vince Gilligan, e produzido por ele e Aaron Paul, o filme nos mostra o que aconteceu com Jesse Pinkman após os acontecimentos finais da série. Após ser libertado por Walter White da gangue neonazista que o escravizara, obrigando-o a trabalhar produzindo a droga que os deixou famosos, o fim só mostra Jesse fugindo em seu carro. Ria, aliviado, sugerindo um final feliz para o personagem, após perder toda a esperança e humanidade depois da tortura a qual foi submetido.

Talvez não precisássemos saber exatamente o que aconteceu com ele. Talvez o filme não tenha um propósito maior do que apenas ser um presente para os fãs. E é. Afinal, o protagonista sempre foi Walter White e Jesse era aquele alívio cômico/ problema para ele resolver. Pois o grande acerto do filme foi exatamente transformar Jesse em protagonista. Que interpretação de Aaron Paul. Sensacional do começo ao fim.

Sem qualquer espaço para alívios cômicos, o filme trata do caminho para um possível recomeço para Jesse. Ele percebe que não basta apenas fugir, mas que tem que deixar o Novo México se realmente quer ser livre. Aaron Paul nos mostra a maturidade do personagem, passando pelas marcas de sua tortura, seu desespero, suas memórias, até chegar a seu merecido final com maestria. Os flashbacks, recurso utilizado algumas vezes durante o longa de cerca de 2 horas, servem tanto para nos relembrar de fatos que aconteceram ao longo da série (que acabou há 6 anos) como para nos mostrar esse amadurecimento. Aquele Jesse do filme não é o mesmo garoto um tanto irritante que acompanhamos ao longo das 5 temporadas.

O roteiro é lento, talvez até um pouco arrastado, fazendo-nos pensar que ele poderia ser mais curto. Porém não é nada que atrapalhe a experiência. Extremamente bem dirigido e com belas fotografias, tem em seu trunfo também uma excelente trilha sonora, assim como era destaque na série.

Se espera um grande filme não é exatamente o que vai encontrar. Como filme é muito bom, mas é muito mais um fanservice do que qualquer coisa. Podemos dizer que El Camino é um longo episódio extra da série que amamos tanto. Mas um dos melhores episódios. Um grande presente! Então, só nos resta agradecer à Netflix e a Vince Gilligan e Aaron Paul. Se Bryan Cranston aparece para representar novamente seu Walter White? Bem, assistam para ver.

80%
80%
Muito bom

El Camino: A Breaking Bad Story (2019)
País: EUA | Classificação: 16 anos | Estreia: 11 de outubro de 2019
Direção: Vince Gilligan | Roteiro: Vince Gilligan
Elenco: Aaron Paul, Robert Foster, Matt L Jones, Charles Baker, Jonathan Banks, Jesse Plemons, Scott MacArthur, Scott Shepherd

  • 4.0
  • User Ratings (0 Votes)
    0

About Author

DCzete que adora a Marvel, escritora, melhor amiga de Leia Organa, prima do Superman, moradora de Valfenda e membro da Corvinal. Ok! Talvez alguns deles apenas em sua imaginação. Bernard Cornwell e Neil Gaiman guiam sua vida.

Deixe o seu comentário