BGS 2019: Marvel’s Avengers potencializa diversão através da sinergia entre heróis

0

Oficialmente anunciado durante a E3 2019, Marvel’s Avengers é a próxima empreitada da gigante dos quadrinhos e cinema no mundo dos games. Embora o visual do título desenvolvido pela Crystal Dynamics e Eidos Montréal e publicado pela Square Enix não agrade jogadores num primeiro momento, é justo salientar que é na dinâmica entre personagens, jogabilidade fácil e temática que o novo game dos super-heróis mais poderosos da Terra pode bater de frente com Marvel’s Spider-Man, título mais recente do universo da Marvel e que agradou jogadores ao redor do mundo.

Presente na Brasil Game Show 2019, a demo de Marvel’s Avengers segue os padrões previamente apresentados em seus trailers desde que foi anunciado: durante o A-Day, dia em que os Vingadores celebram a inauguração de uma nova base em São Francisco, nos Estados Unidos, e o lançamento de um Porta-Aviões, uma catástrofe iniciada por vilões destrói não só a cidade, mas também acaba com a vida do Capitão América. É no meio da tragédia que o teste se inicia, e, como resultado, a diversão.

Reprodução/Square Enix

De cara, a demo já me coloca no controle de Thor, o Deus do Trovão, para combater soldados inimigos. Os controles do personagem, assim como dos outros heróis, se baseia em comandos simples, mas que se diferem de acordo com suas habilidades. Thor, por exemplo, desfere golpes rápidos ou pesados com Mjölnir, seu famoso martelo. O personagem ainda consegue planar e abrir caminhos bloqueados – um golpe pesado em um ônibus, por exemplo, é a uma ótima opção para também eliminar inimigos. Há ainda a oportunidade de desferir um golpe letal em inimigos com pouca vida ou atordoados – a combinação feita entre o triângulo e quadrado, no PlayStation 4, difere de acordo com o inimigo e sua situação: pouca vida ou atordoado.

O que mais marca cada personagem são suas habilidades distintas e a forma como se movem nos cenários. E é fácil perceber que os estúdios envolvidos denotam a progressão de tais habilidades de acordo com o avanço narrativo do jogo: Thor inicia o combate somente com golpes corpo a corpo, mas não demora para que novas ameaças surjam e façam com que o Deus do Trovão carregue energia, martele o chão para causar dano em área e, assim como de costume, mirar e jogar Mjölnir em inimigos. Esta, talvez, uma das mais legais do personagem. No entanto, o “peso” sentido tanto em Thor quando no controle ao lançar o martelo marca a enorme diferença entre o Deus do Trovão em Marvel’s Avengers e Kratos, de God of War – o protagonista do Jogo do Ano de 2018 não sofre com tal carga ao lançar seu machado.

A jogabilidade de Marvel’s Avenger, ao menos em seu momento inicial, é simples, mas apoiada em uma dinâmica incrível, funciona quando sua proposta chave é a diversão. As personalidades de cada herói são muito bem executadas através das perfomances de seus icônicos dubladores: Laura Bailey (Viúva Negra), Troy Baker (Dr. Bruce Banner/Hulk), Nolan North (Tony Stark/Homem de Ferro), Travis Willingham (Thor), Jeff Schine (Capitão América), entre outros. Todos vão de acordo com o que foi estabelecido aos heróis não só nos quadrinhos, mas em todas as mídias que permeiam tamanha presença. A forma como Tony Stark enfrenta desafios é sempre baseada em um leve humor e deboche, enquanto Capitão América, conhecido pela seriedade e taticidade, mantém tal fórmula também no game.

A dinâmica mencionada acima é acentuada pela transição entre personagens: iniciei jogando com Thor, mas a demo fez questão que eu jogasse também com o Homem de Ferro, Hulk, Capitão América e a Viúva Negra. Com habilidades, movimentos, combos e interações diferentes, a demo já mostra que Marvel’s Avengers vai transitar entre cada herói para que jogadores aprendam, progridam e terminem a nova narrativa dos Vingadores nos games.

Sobre as diferenças nos estilos dos heróis, fica claro que cada personagem tem sua mecânica própria, por mais parecidas que sejam. Enquanto Thor desfere seus golpes com seu martelo, Capitão América e a Viúva Negra são os mais tático de todos (precisam entender e antecipar ataques e defesas antes de sair desferindo socos e chutes), mas também usufruem de seu escudo e pistolas para atacar inimigos à distância. Homem de Ferro e Hulk também seguem a mesma fórmula: o combate corpo a corpo existe, mas também é possível atacar de longe. E, honestamente? Mesmo que todos sigam a mesma fórmula mecânica quando o assunto é jogabilidade, suas diferentes performances aparentam, ao menos na demo, ser únicas. Isso fará com que jogadores usufruam melhor dos heróis baseados em seus estilos de jogos – Hulk, por exemplo, é o herói perfeito para quem deseja simplesmente sair destruindo tudo. No entanto, para jogadores mais táticos e calculistas, Capitão América e Viúva Negra serão uma “mão na roda” enquanto jogam Marvel’s Avengers.

A demo não disponibiliza tempo suficiente para entender como a árvore de habiliades funcionará, embora que sua presença já esteja confirmada no game. Além disso, customizações visuais também influenciarão na mecânica do jogo, como combos e ataques específicos, mas só veremos isso quando o game for lançado para PlayStation 4, Xbox One, Google Stadia e PC em 15 de maio de 2020.

Marvel’s Avengers tem potencial para se tornar a próxima grande aventura marcante dos heróis no mundo dos games. O que mais chama atenção, além da mecânica simples, porém divertida, e a performance dos personagens através de seus dubladores, é como a sinergia entre as transições de um herói ao outro funciona de forma coesa e equilibrada. Ainda é preciso muitas horas de jogo para saber se o game será um marco ou uma decepção, mas bastaram quinze minutos para me entreter e desejar por mais.

Marvel’s Avengers será lançado para PlayStation 4, Xbox One, Google Stadia e PC em 15 de maio de 2020.

About Author

Cofundador e editor-chefe do Duas Torres. Fascinado pela narrativa de J. R. R. Tolkien e pela evolução do entretenimento, encontra paz ao escrever sobre filmes, séries e games.

Deixe o seu comentário