“Winterfell” distribui as peças no tabuleiro | Game of Thrones 8×01

0

Foram 595 dias de espera! Sim, nós contamos todos eles. Mas enfim o fenômeno cultural da HBO está de volta. Este domingo nos trouxe o primeiro episódio da oitava e última temporada de Game of Thrones com um episódio sem grandes acontecimentos, mas nem por isso com pouca emoção. Um típico primeiro episódio onde os personagens são como peças de xadrez, sendo distribuídas no tabuleiro.

Ele começou de forma nostálgica. Game of Thrones se iniciou com Bran Stark correndo pelos muros de Winterfell, tentando ver melhor Robert Baratheon chegando na fortaleza. Pois se utilizando de uma criança correndo com a mesma trilha sonora, a temporada começou com a chegada de Daenerys e Jon Snow, com uma grande comitiva de Imaculados e Dothrakis. Mas logo ali podemos ver que a vida não vai ser muito fácil para a mãe dos dragões. Os Nortenhos são desconfiados por natureza e claramente não recebem bem quem vem do sul.

Quem não recebeu bem a nova rainha foi Sansa. Ela deu as boas vindas de forma claramente desgostosa, demonstrando que não concordava com Jon ao renunciar ao título de Rei do Norte. Quando todos os aliados são reunidos no grande salão de Winterfell percebemos que Sansa não é a única. Lyanna “maravilhosa” Mormont foi a primeira a se erguer, contestando a decisão do ex-Rei. Esse negócio de contestarem as decisões de Jon não é novidade e não terminou bem da primeira vez, né, patrulha?

A série, “encontros que esperávamos” do episódio começou com o reencontro de Sansa e Tyrion. Quando eles se separaram, a Lady de Winterfell era uma jovenzinha assustada, tentando sobreviver. Ao apontar os erros que o mais novo dos Lannister cometeu, ela demonstrou o quão forte ela se tornou, fato apontado pelo próprio Tyrion que disse que ela sempre foi subestimada.

Mas o encontro mais esperado, mais lindo e mais tocante do episódio foi entre Jon e Arya. Apesar da vida tê-los afastado e por terem se transformado em pessoas diferentes, o carinho ainda estava lá. Aquele abraço foi de levar lágrimas aos olhos! E não teve como rir quando Jon perguntou se Arya havia usado muito a “Agulha”. Mas a minha parte preferida foi ver a menina defendendo Sansa, dizendo que a irmã era a pessoa mais inteligente que ela já conhecera.

Enquanto isso, em King’s Landing, Cersei continua suas vilanias, não parecendo se importar ao saber que a Muralha foi destruída e que os mortos haviam cruzado-a. Obviamente pensando que iria poupar o seu trabalho de destruir seus inimigos. A atuação de Lena Headey é sempre impecável, mas estou curiosa em saber onde o roteiro irá leva-la. A dinâmica dela com Euron GreyJoy é interessante e espero que a vinda da Companhia Dourada, mesmo sem os elefantes, leve a algum lugar (Pelo menos seja interessante como nos livros), mas até agora me parece um tanto desperdiçada. Mas Cersei é maravilhosa e ao mandar Bronn para matar seus irmãos, mostra que ela não dá ponto sem nó e podemos esperar muito dela ainda.

Mostrando que de certa forma ainda tem bolas, Theon Greyjoy vai em busca da irmã e a resgata dos navios de Euron. Depois, sem grandes enrolações, ele já diz a irmã que irá para o norte para ajudar os Stark. Uma coisa interessante: por duas vezes foi dito que os outros não sabem nadar. Nesta cena, Yara diz que vai recuperar as Ilhas de Ferro para que Daenerys tenha um lugar para ir, se os mortos tomarem o norte. Será uma previsão do futuro?

Enquanto observam Daenerys e Jon, Tyrion, Varys e Sir Davos conversam sobre o futuro. E Sir Davos sugere que uma maneira de acalmar todos quanto a ter a Targaryen como rainha seria se ela e Jon se casassem. Seria essa uma possibilidade depois que Dany souber a origem do amado? O parentesco nunca foi um problema para Targaryens, mas talvez o fato de ele ser o legítimo herdeiro do trono de ferro o seja…

Um dos momentos que muitos mais queriam ver aconteceu neste episódio: Jon Snow montando Rhaegal, o dragão que homenageia seu pai biológico. Apesar de ter sido uma cena bem feita nos deixou com dois pensamentos. Primeiro: um pouco antes disso Daenerys estava dizendo que os dragões não estavam comendo. A resposta para isso é sair para voar com ele? Segundo: eu, particularmente, gostaria de ver essa cena depois que Jon soubesse de sua origem. Seria muito mais tocante!

Depois do vôo houve uma cena engraçadinha, a lá comédia romântica de Jon e Dany em um belo lugar repleto de cachoeiras, sendo vigiados por um Drogon aparentemente enciumado. Honestamente, bonitinha, mas uma cena de romance forçada. Não combinou com o episódio.

Se o romance entre Jon e Dany não convenceu muito na cena anterior, ver Arya e Gendry juntos foi maravilhoso! Meu ship está vivo, minha gente!!!! Enquanto ele está lá forjando lâminas de vidro de dragão, nós só lembramos da conversa de Robert Baratheon: “Você tem uma filha, eu tenho um filho”.

O episódio fica mais nervoso quando Daenerys procura por Samuel Tarly para agradecer por ele ter curado Jorah. Na conversa, ela acaba contando que matou seu pai e irmão por eles não terem aceitado-a como rainha. A atuação de Sam, visivelmente emocionado, foi incrível!

Pois eis que chegou o momento que todos esperavam! Sam encontra Jon nas catacumbas de Winterfell e conta a ele sobre sua origem. Principalmente, diz que ele, sim, é o verdadeiro herdeiro dos sete Reinos. O que ele vai fazer com essa informação saberemos nos próximos episódios.

Mais ao norte, Tormund e Beric Dondarrion encontram Edd Doloroso com alguns membros da Patrulha da Noite em uma fortaleza aparentemente vazia. Ao entrar, encontram o herdeiro dos Umber morto, preso na parede, cercado de membros amputados. Esse símbolo já apareceu algumas vezes de diversas formas, sendo sempre relacionados aos caminhantes brancos e os filhos da Floresta. Não sabemos exatamente o que significa, mas tenho que dizer que, quando ele foi queimado, pareceu muito com o símbolo dos Targaryen.

Fechando com chave de ouro, Jaime Lannister chega a Winterfell e a primeira pessoa que ele encontra é ninguém menos do que nosso corvo de três olhos, Bran Stark. A atuação impressionante de Nicolaj nos faz perceber que ele se arrependeu do que fez ao rapaz. Isso que é crescimento de personagem! Quanto a Bran, estamos com medo de ir à cozinha de madrugada e o encontrar lá, sentando, nos julgando.

Foi um bom pontapé inicial para a última temporada, mas as perguntas ainda são muitas. A principal desse momento é: Falta muito para domingo?

About Author

DCzete que adora a Marvel, escritora, melhor amiga de Leia Organa, prima do Superman, moradora de Valfenda e membro da Corvinal. Ok! Talvez alguns deles, apenas em sua imaginação. Bernard Cornwell e Neil Gaiman guiam sua vida.

Deixe o seu comentário