Days Gone: Tiro, porrada e Freakers

0

Days Gone é a nova franquia exclusiva da Sony que promete momentos emocionantes aos jogadores do PlayStation 4. Com data marcada para chegar exclusivamente ao console em 26 de abril, o game teve novos detalhes revelados pelo diretor Jeff Ross e o lead game designer Ron Allen em um evento para imprensa realizado em São Paulo na última quarta-feira, 10 de abril.

Ambientado dois anos após um surto que transformou humanos em feras descontroladas sedentas por sangue – conhecidas como Freakers -, o game carrega características conhecidas do público de outras mídias que tratam do assunto. No entanto, uma das peculiaridades de Days Gone é a moto do protagonista Deacon St. John, personagem que ganhou vida através da performance do ator Sam Witwer.

Ela é essencial para jogadores sobreviverem“, afirmou Jeff Ross. É com a moto de Deacon que jogadores poderão se aventurar pelo mundo aberto do jogo e até a realizar viagens rápidas, recurso conhecido como “fast travel” no mundo dos games.

A moto, além de permitir passeios pelos cenários, serve para guardar munição e outros equipamentos e é uma “mão na roda” em estratégias de sobrevivência – principalmente ao enfrentar as hordas de Freakers. É justo salientar que o transporte, assim como qualquer outra moto, precisa de gasolina e sofrerá danos caso você a bata em árvores ou outros objetos dos cenários do jogo da Bend Studio.

Reprodução/ Sony Interactive Entertainment

Os desenvolvedores preferiram omitir detalhes sobre o que aconteceu no mundo de Days Gone, principalmente quanto ao surto que transformou humanos e outros animais em criaturas violentas, mas deram algumas dicas que podem ser úteis aos jogadores do game. “Os Freakers preferem o frio, então durante o dia eles gostam de ficar escondidos, mas à noite eles preferem sair“, revelou Ron Allen.

A forma como os Freakers agem no jogo é diferente de outras criaturas do gênero: ao invés da lentidão dos zumbis, as criaturas de Days Gone são ágeis e estão sempre em alerta para atacar jogadores. Não só isso, outro diferencial vai para as hordas dos mortos-vivos. “É a primeira vez que um game conta com hordas tão grandes“, revela Ross.

Ele não está mentindo, Days Gone conta com hordas de até 500 Freakers – e jogadores terão que enfrenta-las usando as mais diferentes estratégias, armas e outros equipamentos. “Você pode adotar três abordagens: stealth, para se manter escondido e elimina-los; correr e atirar e planejar seu ataque“.

As estratégias mencionadas fizeram total sentido quando testei a demo do jogo disponibilizada no evento. O teste era dividido em uma missão inicial, mesma disponibilizada na Brasil Game Show 2018, em que era preciso encontrar uma peça de moto em um posto de gasolina. É claro que, não diferente de outros momentos do game, Freakers estavam por todas as partes e me vi obrigado a caminhar sorrateiramente pelo cenário. Adotar o estilo stealth, neste caso, foi o jeito mais fácil para concluir a missão. Chegar por trás das criaturas e abate-las silenciosamente com uma faca não chamou atenção; jogar pedras em direções opostas da que precisava seguir para enganar Freakers também foi um bom plano.

A primeira missão serviu mais para me familiarizar com os comandos no controle: intuitivos e parecidos com tantos outros games de ação. Selecionar armas, correr, abaixar, etc; tudo é simples e de rápido aprendizado. Já na segunda demo, as coisas mudaram completamente.

Reprodução/ Sony Interactive Entertainment

300 Freakers se aglomeram em um buraco enquanto eu caminho pelo mapa para tentar entender o que eu preciso fazer para mata-los. Barris explosivos, caminhões cheios de gasolina, contêineres e até troncos de árvores foram estrategicamente colocados no mapa para que eu possa aniquilar os seres ferozes.

Me lembrei na hora dos estilos de jogo que posso adotar e decidi me planejar antes de chamar a atenção dos Freakers. Bombas de proximidade devidamente armadas em barris, coquetel molotov em uma mão e metralhadora na outra: a hora chegou. Assim como Deacon, a horda possui uma barra de vida que mostra aos jogadores o progresso na eliminação das criaturas. Aos poucos, a barra começa diminuir, já que as bombas funcionam e – alguns – tiros são certeiros. Mas há um problema: os Freakers são muito rápidos e não se cansam, diferente do protagonista, que também possui uma barra de energia. Corra demais e o personagem se cansa. Falhei.

Segunda tentativa: continuo a adotar um planejamento com bombas, trilhando um caminho em direção a um caminhão de gasolina que explode tanto com tiros quanto com uma bomba. Novamente, corro muito e os Freakers me engolem. Rapidamente aprendo que atirar e correr não é uma das melhores opções neste caso. Me pergunto se é possível utilizar a moto contra a horda e, após novamente planejar meu ataque, corro em direção a ela. Sim, é possível. As coisas começaram a mudar.

Reprodução/ Sony Interactive Entertainment

A moto é, de fato, uma “mão na roda” e rapidamente consigo me desvencilhar das criaturas. Explodo barris cercados de Freakers, subo na moto para conseguir uma distância maior e repito o processo até que a barra de vida da horda chega ao fim. Missão cumprida e muito bem apreciada. A sensação de realização após tantas tentativas é muito bem apreciada. Foram 10 tentativas para eliminar os 300 Freakers – o que me fez questionar como será enfrentar a hora de 500 revelada pelos desenvolvedores. Tiro, porrada e bomba não faltarão na nova franquia da Sony.

Days Gone chega exclusivamente para PlayStation 4 em 26 de abril e promete uma nova história dramática e cheia de ação. Há, claro, muitas dúvidas sobre a história e outros recursos de jogabilidade que não foram abordadas até então, mas que certamente serão devidamente respondidas aos jogadores que cumprirem as missões. Outro detalhe compartilhado que chama atenção vai para a duração do game. Segundo os desenvolvedores, Days Gone terá até 60 horas de jogo divididas entre exploração, campanha principal e missões secundárias. Todos prontos?

About Author

Cofundador e editor-chefe do Duas Torres. Fascinado pela narrativa de J. R. R. Tolkien e pela evolução do entretenimento, encontra paz ao escrever sobre filmes, séries e games.

Deixe o seu comentário