PerifaCon – A primeira ‘Comic Con da favela’ foi um sucesso!

2

Imagina realizar um evento de cultura geek como uma Comic Con na periferia? Imaginou? Não precisa mais porque agora é realidade: a primeira edição aconteceu neste último domingo, 25 de março. A PerifaCon, “a Comic Con da favela”, como o evento se denomina com orgulho, reuniu pouco mais de 4 mil pessoas na Fábrica de Cultural do Capão Redondo, em São Paulo. O objetivo do projeto é fomentar a cultura pop, nerd e geek nas periferias de São Paulo. Com isso contribuir para a quebra de barreiras culturais de acesso dos produtores e marcas à região, bem como o acesso da periferia à este universo. 

Para começar vamos falar como tudo começou. A primeira PerifaCon foi idealizada por uma equipe toda periférica e de maioria negra: Andreza Delgado, Igor Nogueira, Luíze Tavares, Mateus Ramos, Matheus Polito, Pedro Okuyama e Gabrielly Oliveira. Através de um financiamento coletivo, o grupo conseguiu arrecadar verba para as despesas de palestras, oficinas, divulgação e materiais para a feira no geral. Vale destacar que o evento foi gratuito ao público. Apenas era necessário realizar um cadastramento prévio no site para agilizar a entrada ou  o cadastramento na hora. 

Foto: Roberto Nascimento

Crianças, jovens e adultos compareceram e fizeram filas para conhecer as atrações nos sete andares do local, como uma Comic Con o evento de tinha de tudo um pouco. Quando cheguei, eu entrei pelo segundo andar onde pude ver a exposição Rap em Quadrinhos. As obras criadas por Load Comics e Loud, são 25 capas da dupla que foram distribuídas em painéis expositivos pelo corredor. A ideia da união entre os dois começou a partir da percepção que nas letras de rap estavam as discussões que são propostas nos quadrinhos. Além disso no mesmo andar, na biblioteca você poderia jogar jogos de RPG, bem como fazer compras em algumas editoras e lojas como a Editora Aleph, Jambô Editora, 4P – KL Jay, Draco, entre outras.

Foto: Roberto Nascimento

Em seguida, fui para o térreo na sala multiuso – audiovisual, onde pude acompanhar dois painéis. O primeiro foi a exibição do primeiro episódio da série “Impuros”, dos canais Fox. Em seguida houve um bate papo sobre esta mesma série com Zico Goes, Felipe Ferrari e Carlos “Coruja”.

Foto: Roberto Nascimento

Como bom evento de quadrinhos, não poderia faltar quadrinistas claro, o próximo painel que acompanhei foi da Chiaroscuro, patrocinadora do evento sobre Marvel e DC. No palco Ivan Freitas da Costa, Ivan Reis e Wilton Santos falaram um pouco deste mercado e algumas curiosidades do meio. Ainda nesta sala houveram outros painéis, como bate papo com Rashid e desenhistas.

Foto: Roberto Nascimento

O evento teve uma área destinada à games: 5 mesas com computadores apresentando games independentes de São Paulo. Por exemplo, estava presente o jogo Huni Kuni que é fruto de uma parceria do povo indígena Huni Kuni do Acre com um grupo de antropólogos da USP.  Outro exemplo foi a Nova Califórnia com um jogo desenvolvido pela Taina Felix e Jaderson Souza, sendo uma adaptação de um conto do Lima Barreto que fala de ganância. Os desenvolvedores estão andando por São Paulo debatendo a representatividade negra nos games.

Foto: Roberto Nascimento

No térreo, onde estava o credenciamento do público, concurso de desenho e loja Perifacon, você poderia tirar foto no trono de Game of Thrones e acompanhar as atrações do palco. Bandas, grupos de K-POP e concurso cosplay rolaram por ali. Falando em cosplay, esse assunto com certeza vale um destaque. Todo evento geek/nerd que se preze tem que ter cosplay e eles representaram muito.

Uma coisa muito bacana que observei foi o olhar principalmente das crianças de encantamento, sabe? Olhando seus heróis como Batman, Homem Aranha, Vampira dos X-Men, maravilhadas, vendo tudo. O pessoal de cosplay compareceu em peso na Perifacon! O vencedor do concurso foi o T’Challa brasileiro Wellington Silva, como Pantera Negra. Detalhe: as arquibancadas do palco estavam lotadas durante o concurso.

Foto: Roberto Nascimento

Antes que eu esqueça, rolou no segundo andar sessão de autógrafos com Load &Load, Rashid, Cia das Letras, Gabriel Bá e pessoal da Chiaroscuro Studios. Joe Prado, Adriana Melo, Wilton Santos, Márcio Hum, Ivan Reis eram alguns dos quadrinistas presentes da Chiaroscuro. Como o assunto é quadrinista, a Perifacon contou com seu beco dos artistas no quarto andar. A sala com muitos trabalhos incríveis de artistas independentes e periféricos. Aqui os artistas tiveram a oportunidade de mostrar seus trabalhos, logo os fãs puderam conversar com os seus artistas favoritos e conhecer novos trabalhos. Todo mundo queria ver e comprar, logo, teve fila para conferir. Foi um sucesso!

Foto: Roberto Nascimento

No mesmo andar havia uma sala com board games, Léo Aguiar e Galápagos, para o público conhecer. Ali do lado aconteceram mesas de debate, os assuntos trabalhados foram:

  • Produção e representatividade negra nos quadrinhos;
  • Produção de podcast no Brasil e porque ninguém consegue parar de ouvir;
  • Mulheres no mundo nerd;
  • Arte e resistência;
  • Produção independente e editorial.
Foto: Roberto Nascimento

O quinto andar foi destinado para oficinas de diversos assuntos, desde pergunte a um cientista, passando por decoração de cupcake e até com aula de poção. Não faltaram atividades e, com tantas assim, é claro que a Perifacon disponibilizou uma praça de alimentação para o público recarregar as energias.

Percebeu quanta coisa aconteceu neste domingo? Tinha atividade para todos os públicos! Tanto que houve o momento em que a organização teve que encerrar a entrada, devido a quantidade de pessoas presentes na Fábrica de Cultura. A aposta dos amigos em criar este tipo de evento deu super certo. Uma ótima iniciativa de trazer cultura e inclusão para o público da periferia que também consome este tipo de conteúdo.

A PerifaCon provou que pode realizar um evento onde o público se sinta em casa, com sua linguagem, colocando a periferia inclusa e não a margem deste conteúdo. Quem sabe não veremos as próximas edições passando por cada canto de São Paulo? Você pode ver um de tudo que falamos nos stories do nosso instagram: instagram.com/duastorres. Parabéns aos organizadores, voluntários, patrocinadores e todo mundo fez a Perifacon acontecer!

About Author

Beto, paulista, sempre em busca de bons shows, viagens, livros, cultura pop em geral (não necessariamente nesta ordem). Fã de Star Wars, DC, Marvel entre outras coisas mais. Amante do universo da fotografia, sempre registrando por onde passo.

2 Comentários

Deixe o seu comentário