CCXP 2018: Aquaman – Crítica

0

Até sexta-feira, 07 de dezembro, se alguém me perguntasse quais meus heróis preferidos da DC Comics, com certeza jamais receberia como resposta “O Aquaman”. Apesar das lindas ilustrações de Ivan Reis e de um ou outro quadrinho que curto, minha memória afetiva vem do antigos Superamigos, onde o Aquaman reinava nos mares e na chatice. De Superman a Lobo, minha última escolha seria um super-herói cujo poder era falar com peixes. Até que James Wan e Jason Momoa me provaram o quanto estava errada.

Preciso dizer que eu não estava com a expectativa muito alta. Após Liga da Justiça e o constante “disse-me-disse” envolvendo as notícias sobre os filmes da DC, não acreditava que era com Aquaman que eu veria a DC se encontrar. Claro que queria assistir, principalmente por causa de Jason Momoa. Como fã desde que ele era “Meu Sol, Minha Lua, Minhas Estrelas”, curti muito essa nova versão do herói em Liga (Apesar do Booya). Diferente, sim, mas como não gostava lá muito do loirinho, a versão meio Maui de Moana não me incomodou em nada. Então, quando a CCXP divulgou a exibição exclusiva do filme nesta sexta feira, resolvi conferir. Pois eis que encontrei o que a DC precisava para finalmente saber o rumo que deve tomar.

Se eu pudesse escolher uma palavra para definir o novo filme da parceria entre DC e Warner seria: “Grandioso”. Durante mais da metade do filme esta palavra aparecia em minha mente a todo momento. Desde as incríveis cenas de ação, às batalhas, e ao CGI perfeito, o filme é feito para arrebatar, empolgar. São 202 minutos de respiração suspensa! Aquaman é gigante em todos os sentidos. Sabe o sono que eu estava após um dia inteiro sentada conferindo os painéis? Acabou 5 minutos após o início da exibição. Foram os 5 minutos onde pensei: “Ih, acho que esse filme vai ser uma porcaria”. Paguei a minha língua!

A direção de James Wan é sensacional! As cenas de batalha são um espetáculo visual. Coloridas, intensas, lindamente coreografadas. Um deleite para os olhos! Em muitos momentos parecia que eu estava em uma galáxia muito distante ou entre os reinos contra Mordor. As referências que ele nos desperta sobre Star Wars e Senhor dos Anéis podem não ser propositais, mas estão ali. Nós simplesmente não vemos o tempo passar nesses momentos. Creio que esse seja o ponto alto do filme.

O roteiro é bom. Nada espetacular, claro. A história é plausível, interessante. Arthur Curry, meio Atlante, meio humano, se junta à atlante Mera para encontrar um artefato importante para o futuro de Atlantis, com o objetivo de impedir seu meio-irmão Orm de unir os sete mares contra os humanos. Há aqueles diálogos meio clichês, próprios de filmes do tipo, e a química entre Momoa e Amber Heard demora a vingar, mas esse é o único defeito do filme. De resto, não há o que criticar. Algo que se fala muito sobre os filmes do gênero, que são as piadas fora de hora, então, é algo que não podemos dizer uma linha. O humor é pontual e se insere perfeitamente na história. Não é nada forçado.

Momoa faz um Aquaman carismático, impressionante, engraçado na medida certa. Apesar de o termos visto em fotos promocionais com o uniforme clássico, a primeira aparição dele vestindo-o fez levantar o auditório Cinemark, sem que fosse dita uma só palavra! Amber Heard também está incrível como Mera. Uma personagem valente, forte. Ela e Nicole Kidman como a rainha Atlanna, levam o girl power ao nível máximo! O sempre excelente Willem Dafoe também está ótimo como o conselheiro Vulko! O clássico vilão de Aquaman, o Arraia Negra, muito bem representado por Yahya Abdul-Mateen II, nos deixa com um gostinho de quero mais.

Em muitos momentos, me trazendo à memória um que de Ivan Reis, Aquaman é um presente que a DC nos deu. Finalmente mostrando que seu incrível universo de heróis veio para se consolidar da forma que eles merecem. Como alguém que ama a DC Comics, isso só me faz imensamente feliz. Há quem diga que esse é o melhor filme do ano. Não sei, pois a importância de Vingadores: Guerra Infinita talvez conte um ponto a mais. Mas posso dizer uma coisa: É o melhor filme da DC desde o Batman do Nolan.

Vale o ingresso? Bem, me encontrem no cinema no próximo sábado a noite e me digam. Eu vou estar lá assistindo mais uma vez. Foi dito, ao fim do painel, que a CCXP nunca viu um auditório vibrar mais em um filme. Existe um motivo para isso. Vocês só precisam conferir.

Avaliação Final

90%
90%
Ótimo

Aquaman (2018)
País: EUA | Classificação: 12 anos | Estreia: 14 de dezembro de 2018
Direção: James Wan| Roteiro: Will Beall, David Leslie Johnson
Elenco: Jason Momoa, Amber Heard, Willem Dafoe, Patrick Wilson, Yahya Abdul-Mateen II, Nicole Kidman, Temuera Morrison, Dolph Lundgren

  • 4.5
  • User Ratings (0 Votes)
    0

About Author

DCzete que adora a Marvel, escritora, melhor amiga de Leia Organa, prima do Superman, moradora de Valfenda e membro da Corvinal. Ok! Talvez alguns deles, apenas em sua imaginação. Bernard Cornwell e Neil Gaiman guiam sua vida.

Deixe o seu comentário