Game XP vs BGS: quem vence essa partida?

0

Neste ano, o Brasil contou com dois eventos de grande porte voltados para o público gamer: a Game XP e a Brasil Game Show, realizados no Rio de Janeiro e São Paulo respectivamente. Tive a oportunidade de participar destes dois eventos no dia de maior público (sábado) e gostaria de dividir com vocês um pouco da experiência que ambos oferecem ao público. Press start!

Calendário

Os eventos aconteceram com um mês de diferença, mas foram realizados durante feriados nacionais (Game XP: de 6 a 9 de setembro / BGS: de 10 a 14 de outubro). Isso fez com que um maior público pudesse comparecer. A Game XP em 2019 terá mudanças, uma vez que já foi confirmado que esta edição acontecerá em julho, acredito que por conta do Rock in Rio, que é realizado em setembro no Parque Olímpico.

Localização e Transporte

Para chegar na Game XP, o publico que optou pelo transporte público além do ônibus, pode contar também com o VLT. Um diferencial foi para quem optou em ir ou voltar de Uber, a empresa fez um teste que para mim, outros eventos de mesmo porte deveriam adotar.

A Game XP tinha uma ampla área exclusiva de desembarque e embarque de passageiros. Na hora de voltar para casa, você solicitava a corrida por aplicativo, em seguida recebia um código de seis dígitos para apresentar ao motorista na área de embarque. Em outras palavras, na hora da saída haviam vários motoristas prontos para receber os passageiros e sem aquela tarifa diferenciada, ponto positivo para a Uber.

Foto: Roberto Nascimento

A BGS foi realizada no Expo Center Norte, o acesso por transporte público podia ser feito através do metrô na estação Portuguesa Tietê. De lá, o visitante poderia utilizar os ônibus disponibilizados pela BGS, já que era uma distância considerável para ir a pé.

Atrações

A Game XP trabalhou muito na divulgação como o maior game parque do mundo, isso se dá pela quantidade de ativações externas. Clash Royale King Size, PES Experience, Just Dance, Crash Bandicot Kart, Spider Man Challenge, Fanta Geek eram algumas das atrações. Além disso, o evento contou com  a maior tela de games na Oi Game Arena, com 1.500 metros quadrados para transmissão de torneios.

Foto: Roberto Nascimento

A BGS tem uma tradição de realizar Meet & Greet gratuitos para os fãs, este ano o público contou com um grande número de convidados. Yoshiaki Hirabayashi (produtor de Resident Evil 2), Daniel Pesina (intérprete de diversos personagens icônicos de Mortal Kombat), Nolan Bushnell (criador do Atari), Shota Nakama (criador da Video Game Orchestra) são alguns exemplos de convidados que galera encontrou por lá. O evento também contou com streamers, BGS Talks (painéis e apresentações de grandes nomes da indústria mundial), campeonatos com transmissão no telão para a galera acompanhar.

Tanto na Game XP, como na BGS, os cosplayers marcaram presença. A BGS fica na vantagem neste item porque entregou a Cosplay Zone em parceria com a Nintendo, disponibilizando mil ingressos VIP para esta galera.

Stands e Expositores

A Arena Expo Play da Game XP era o local onde os visitantes puderam conferir em parte as novidades de marcas do mercado de games, pois muito dos jogos já estavam disponíveis no mercado. Na mesma arena, havia uma pequena área dedicada à arte, o Art Street, exclusivo para ilustradores e artistas (Ivan Reis da DC Comics foi um dos artistas presentes por exemplo). A ideia era boa, mas na prática a organização poderia ter colocado em um local mais tranquilo, já que ficou em frente ao stand da Xbox, um dos mais cheios da arena.

Já na Inova Arena, você encontrava stands sobre tecnologia e inovação. Nas arenas da Game XP em geral colocaram muitos stands, o que ocasionou corredores lotados, dificultando a circulação e experiência dos visitantes.

Foto: Roberto Nascimento

Na BGS, houve uma boa distribuição dos stands, tanto para circulação, quanto para a organização de filas. Claro que alguns momentos do sábado haviam corredores chave que estavam lotados, mas em grande parte do tempo transitar pelo pavilhão era tranquilo. Sony, Activision e Microsoft trouxeram alguns games de peso para a galera jogar. Days Gone, Sekiro: Shadows Die Twice , Call of Duty: Black Ops 4, Kingdom Hearts 3 são alguns dos exemplos de jogos presentes.

A  Área Indie foi com certeza um dos pontos altos da BGS, área destinada aos  desenvolvedores relação à produção nacional de games, era parada obrigatório por estes corredores. Lá conhecemos os games em produção e conversamos  com algumas pessoas responsáveis no desenvolvimento. Para quem pensa em criar jogos ou tem curiosidade, foi uma ótima  oportunidade de conhecer quem já vive disso, além de trocar experiências.

Praça de Alimentação

Como todo grande evento de grande porte que se preze, tem que ter o lugar de recarregar as energias. Com diversas opções e preços, os dois eventos disponibilizaram um bom espaço para a galera matar a fome.

Considerações Finais

Se eu tivesse que escolher entre os dois qual foi o melhor evento de games de 2018, diria que foi a BGS. Temos que pensar que a BGS está há anos no mercado e a cada edição vem melhorando. A Game XP só está em seu primeiro ano funcionando de forma apartada do Rock in Rio, logo, só tem a melhorar com o que realizou este ano, agora é fazer a lição de casa. Por muito tempo a cidade do Rio de Janeiro ficou sem uma feira gamer deste porte (vale lembrar que a BGS começou no Rio e foi para São Paulo), agora os cariocas tem mais uma opção de diversão. No final das contas, indiferente qual seja a melhor opção, nós que ganhamos por termos mais opções de eventos para a comunidade gamer no Brasil. Já que você está por aqui, confira outras matérias que publicamos sobre a BGS. Até a próxima!

About Author

Beto, paulista, sempre em busca de bons shows, viagens, livros, cultura pop em geral (não necessariamente nesta ordem). Fã de Star Wars, DC, Marvel entre outras coisas mais. Amante do universo da fotografia, sempre registrando por onde passo.

Deixe o seu comentário