Punho de Ferro (Segunda Temporada) – Crítica

0

A primeira temporada de Punho de Ferro não foi o que os fãs esperavam desta adaptação dos quadrinhos. A segunda temporada chegou este mês no serviço de streaming da Netflix e é marcada por muitas melhoras em relação a sua antecessora. Antes de mais nada, indicamos assistir a segunda temporada de Punho de Ferro após ter assistido Os Defensores, pois, é uma continuação direta. Bom, vamos à crítica, sem spoilers.

Em Defensores, Danny Rand (Finn Jones) e seus aliados derrotaram “O Tentáculo”, um grupo de vilões que estiveram presentes nas séries da parceria entre Netflix e Marvel, vemos o impacto da ausência do tentáculo em Nova York. A temporada começa mostrando Danny e Colleen (Jessica Henwick) estão vivendo uma vida relativamente simples, apesar da fortuna de Rand. Colleen é voluntária em um centro comunitário local e Danny trabalha como um profissional de mudanças, os dois moram no antigo dojo de Colleen, que eles transformaram em uma casa, após descobrirem que ela estava inconscientemente treinando recrutas para “O Tentáculo”.

Ward Meachum (Tom Pelphrey) está em um programa de recuperação de 12 etapas, enquanto sua irmã Joy (Jessica Stroup) está planejando vingança contra ele e Danny por razões que você só entende bem superficialmente (a primeira temporada tem momentos bem confusos e vagos). Joy acaba se juntando a Davos (Sacha Dhawan), “irmão” de Danny e rival enquanto treinava em K’un-Lun. Davos por sua vez, atua como antagonista importante desta temporada, visto que os desafios de tentar levar adiante sua missão em Nova York se deparam com seus princípios.

Falando em K’un-Lun, este lugar é muito citado nesta segunda temporada porque tem uma importância em contar um pouco do passado entre Danny e Davos, através flashbacks (bem diferentes dos tediosos, repetitivos e inúteis da primeira temporada). Nesses flashbacks podemos ver quanto a mãe de Davos o pressiona para derrotar Danny e se tornar o Punho de Ferro e você começa a ver a história por outra perspectiva. Só neste começo, você começa a perceber a melhora da série em relação a sua temporada anterior, considerada por muito a pior série entre a parceria Marvel e Netflix. Acredito que houve muito aprendizado com os erros da primeira temporada, principalmente em relação às cenas de luta. Isso se deve muito com a troca por um novo showrunner, Raven Metzner

Outro ponto positivo é a participação de Misty Knight (Simone Missick), personagem de Luke Cage, tem presença importante durante toda a temporada. Novidade nesta temporada em relação a personagens, temos Mary Walker (Alice Eve), uma “vilã” que tem a personalidade dividida, deixando os demais personagens sempre desconfiados. Nos quadrinhos, a personagem é conhecida por possuir um distúrbio de identidade dissociativo,  diferentes super poderes se manifestam para cada uma de suas identidades.

A trama atual consiste em mostrar uma guerra de gangues que está se formando para os lados de Danny Rand devido o fim do Tentáculo, em paralelo, Joy planeja derrubar Danny e Davos trabalha para recuperar o que ele acredita que lhe pertence, o Punho de Ferro. Só a trama por si só já é bem melhor do que a da primeira temporada, é mais explicada.

Quando falamos da evolução de Danny Rand após os acontecimentos em Os Defensores, ele ainda é um cara tentando encontrar seu lugar na sociedade, mesmo abandonando sua posição confortável na Rand Enterprises e trabalhando com mudanças. Danny meio que puxa para si a responsabilidade de proteger Nova York após o sacrifício de Matt Murdock no final de Defensores. Ele monitora através de computadores as atividades policiais e usa um capuz e máscara para combater o crime (lembrando a primeira temporada de Demolidor).

O grande destaque desta segunda temporada de Punho de Ferro fica para Jessica Henwick, que tem o mesmo peso de importância de que Finn Jones, você perceberá ao longo dos episódios como ela tem papel fundamental nesta história.  A diferença mais notável nesta temporada é como Punho de Ferro se torna menos sobre a história de origem de Danny Rand e vira seu foco para Colleen Wing, ela tem seu crescimento auxiliada por Misty Knight, que se torna sua confidente e mentora, encorajando Wing a seguir seus passos e se juntar à força policial.

Não posso deixar de mencionar que nesta segunda temporada de Punho de Ferro, houve a mudança de sua duração de apenas 10 episódios. Um reconhecimento de que finalmente as séries da Netflix / Marvel não precisam ter sempre 13 episódios. Os Defensores foi um caso à parte porque teve oito episódios e era um crossover. A segunda temporada de Punho de Ferro foi melhor escrita, tem melhores lutas e dá esperanças de melhora para o futuro da parceria entre Netflix e Marvel.

Avaliação Final

60%
60%
Bom

Punho de Ferro - 2ª Temporada (2018)
(Iron Fist - Season 2)
País: EUA | Classificação: 18 anos | Estreia: 7 de setembro de 2018
Direção: Stephen Surjik, Mairzee Almas, M.J. Bassett, Sanford Bookstaver, David Dobkin, Toa Fraser, Julian Holmes, Philip John, Jonas Pate, Rachel Talalay
Elenco: Finn Jones, Jessica Henwick, Tom Pelphrey, Jessica Stroup, Sacha Dhawan, Simone Missick, Alice Eve

  • 3.0
  • User Ratings (0 Votes)
    0

About Author

Beto, paulista, sempre em busca de bons shows, viagens, livros, cultura pop em geral (não necessariamente nesta ordem). Fã de Star Wars, DC, Marvel entre outras coisas mais. Amante do universo da fotografia, sempre registrando por onde passo.

Deixe o seu comentário