O que esperar de Star Wars: Episódio IX

0

Star Wars: Os Últimos Jedi, oitavo episódio da saga criada por George Lucas, finalmente chegou aos cinemas – você pode ler nossa crítica do filme aqui. Com todos os acontecimentos comandados pelo escritor e diretor Rian Johnson estabelecidos, o pano de fundo para o Episódio IX está pronto. Mas o que podemos esperar do filme? Já é hora de tentar especular os principais acontecimentos do longa que encerra essa nova trilogia, cuja estreia nos cinemas está marcada para o dia 20 de dezembro de 2019 e será dirigido por J. J. Abrams – que também comandou o Episódio VII: O Despertar da Força.

Cuidado: este texto contém SPOILERS de Star Wars: Os Últimos Jedi.

via Lucasfilm

A introdução do Supremo Líder Snoke em O Despertar da Força criou uma gigantesca nuvem de mistérios sobre o personagem – o vilão nunca havia sido mencionado em outros filmes (ou outras obras da franquia), sendo exclusivamente criado para a nova trilogia. Todos os mistérios acerca do vilão devem continuar sem respostas ou informações valiosas, já que Snoke é friamente – e comicamente – assassinado por Kylo Ren em Os Últimos Jedi, praticamente ignorando a necessidade de sabermos sobre o passado do Supremo Líder, que mostra grande afinidade com a Força e o Lado Negro no oitavo episódio da franquia. Infelizmente, o personagem que demonstrava grande potencial na saga Star Wars foi rapidamente “descartado”, mas tal descarte acirra uma disputa previamente estabelecida: Kylo Ren contra General Hux.

via Lucasfilm

Tal confronto se iniciou em O Despertar da Força e quase resultou em um final inesperado em Os Últimos Jedi, quando Hux encontra Kylo Ren desacordado após o sacrifício da Almirante Holdo (Laura Dern). É simples imaginar que esse conflito continuará no Episódio IX – porém, com um final definitivo para um dos personagens (ou para ambos). Se levarmos a força de Kylo em consideração, Hux não possui grandes chances de vitória – como visto no Episódio VIII -, mas o personagem de Domhnall Gleeson pode esconder algumas cartas na manga para desempenhar ações misteriosas no último capítulo desta nova trilogia, afinal, Hux já demonstrou completo desinteresse em seguir os comandos de Kylo. Os Últimos Jedi é marcado por traições, e o Episódio IX pode seguir a mesma linha de raciocínio. Vale tudo em busca do poder total. Os vilões já mostraram aos espectadores que não estão dispostos a lutarem lado a lado, facilmente despertando possibilidades de antagonismo entre os dois. Se a obviedade for levada em conta, Kylo Ren facilmente sairá triunfante, mas se Abrams quiser chocar e surpreender, podemos esperar a ascensão de Hux no Episódio IX. E por falar em Kylo Ren…

via Lucasfilm

Star Wars: Os Últimos Jedi desempenha um papel fundamental na construção e consolidação das motivações e conflitos internos de Kylo. Se no Episódio VII o vilão sofria com a disputa entre a Luz e a Escuridão, o oitavo episódio serve como um pilar definitivo para dar ponto final na ambiguidade do personagem, que assassina seu grande mentor e se mostra completamente ambicioso em trazer total destruição aos Jedi – principalmente Luke Skywalker. É impossível negar a conexão entre o vilão e Rey, mesmo que suas visões sobre o futuro sejam diferentes, e é no Episódio IX que veremos este desfecho final. Rey acredita que Kylo pode fugir das sombras, enquanto o vilão acredita que a sucateira pode ser sua perfeita aliada para governas a galáxia.

Já vimos a redenção de um vilão na franquia criada por George Lucas, mais precisamente em O Retorno de Jedi, quando Darth Vader dá fim ao Imperador/Darth Sidious com a ajuda de Luke Skywalker e retorna à Luz. Embora a nova trilogia comece estabelecendo que Kylo possua uma guerra interior e que tal redenção é uma possibilidade para o vilão, continuar essa fórmula desgastaria a mágica das tramas Star Wars. Por que não apostar definitivamente que Kylo Ren quer ser o novo Darth Vader, o novo líder supremo afim de comandar a galáxia? Rey se mostra disposta a dominar a Força e sua maior ambição – agora – é resgatar Ben Solo da sombra de Kylo. Mais interessante seria se Rey falhasse em tal tarefa – lembre das palavras de Luke Skywalker: “isso não vai acontecer como você imagina“. Não há redenção, somente a morte para o vilão.

via Lucasfilm

Finalmente sabemos quem são os pais de Rey – ou pelo menos acreditamos que sabemos. Em Os Últimos Jedi, o Supremo Líder Snoke conecta Kylo e Rey através da Força, e o filho de Han Solo e Leia consegue a resposta final sobre o parentesco da personagem de Daisy Ridley: sucateiros de Jakku que a possivelmente venderam em troca de bebida. Esta nova guinada para a franquia tende a engrandecer Rey, mas as coisas podem mudar no Episódio IX.

Em entrevista à revista EW, o escritor e diretor Rian Johnson disse que não pode falar por J. J. Abrams e Chris Terrio, comandantes do último filme da nova trilogia, mas acredita que Kylo não estava mentindo sobre a revelação dos pais de Rey: “Não posso falar sobre o que eles vão fazer [no Episódio IX]. E sempre há uma questão de ponto de vista nesses filmes, mas para mim, Kylo acredita que isso seja verdade. Não acho que ele está jogando xadrez. Acredito que é o que ele viu quando eles se tocaram e é no que ele acredita. E quando ele diz isso para ela naquele momento, ela também acredita.

A franquia Star Wars é marcada por grandes reviravoltas, como Darth Vader ser pai de Luke e Leia, e até o Senador Palpatine se revelar como o Imperador Darth Sidious. Não só o destino dos personagens, mas o passado também está nas mãos de Abrams e Terrio. Seria um erro descartar a possibilidade de um desfecho diferente sobre quem Rey realmente é? Além disso, não houve tempo suficiente para o Mestre Skywalker treinar Rey em Os Últimos Jedi, mas a personagem não perdeu tempo e roubou os Manuscritos Jedi que estavam na ilha de Ahch-To. Será que Rey encontrará alguma passagem sobre como resgatar alguém do Lado Sombrio e aplicará tal façanha em Kylo? Além de querer se tornar uma Jedi de forma definitiva, salvar Ben Solo é a maior ambição da personagem de Jakku e seria interessante a ver falhar em tal quesito. O embate entre Rey e Kylo pode fechar a nova trilogia com chave de ouro. Chega de redenção. Que venha a batalha final.

via Lucasfilm

Exilado nas ilhas de Ahch-To, o Mestre Luke Skywalker aceita a difícil tarefa de treinar Rey, mas não houve tempo suficiente para terminar tal tarefa e mais dúvidas sobre o personagem de Mark Hamill surgiram em Os Últimos Jedi. A primeira grande questão é se devemos realmente acreditar no seu ponto de vista sobre o ataque a Kylo Ren em seu Templo Jedi. Quem está dizendo a verdade? O Episódio IX não deve entrar em mais detalhes sobre o assunto, deixando ao espectador a função de tirar suas próprias conclusões. Em quem você prefere acreditar? No Jedi que salvou a galáxia do Império ou no vilão que quer governa-lo?

Os Últimos Jedi não só resgata um antigo e importante personagem da franquia, como também define o que pode acontecer com o Mestre Luke no futuro. Usando uma poderosa habilidade com a Força, Skywalker ganha tempo e permite que a Resistência fuja de um fulminante ataque da Primeira Ordem – mas paga tal preço com a própria vida. Já que não conseguiu terminar os treinos de Rey no Episódio VIII, caberá ao Episódio IX mostrar um novo encontro entre Mestre – este como um Espírito da Força – e a Padawan. Um evento semelhante já aconteceu na franquia entre Obi-Wan (Sir Alec Guinness) e o próprio Luke. O retorno do personagem pode ser a grande oportunidade de Rey conhecer os caminhos da Força e ter sucesso em seus objetivos para estabelecer ordem ao universo. Sim, há grande nobreza e lealdade em seu sacrifício, mas é difícil acreditar que o papel de Luke Skywalker na franquia chegou ao fim em Os Últimos Jedi.

via Lucasfilm

Os Últimos Jedi marca a última participação de Carrie Fisher na franquia Star Wars – a atriz faleceu em dezembro de 2016. A história da personagem não foi alterada após o falecimento de Fisher e a Lucasfilm já confirmou que não planeja recriar a atriz digitalmente nos futuros filmes da franquia. Leia, General desde O Despertar da Força, é a grande locomotiva da Resistência contra a Primeira Ordem, mas seus próximos passos no Episódio IX certamente são um grande mistério.

Como tratar a ausência da atriz no fim da nova trilogia? Em Os Últimos Jedi, a reduzida Resistência pede ajuda a seus aliados, mas não recebe respostas. Será que a justificativa para um possível sumiço de Leia será sua busca por novas alianças? Isso poderia ser resolvido em um breve diálogo, mas seria injusto e triste seguir essa linha de raciocínio – a personagem representa e merece muito mais que uma simples solução como essa. A deixa para Poe Dameron (Oscar Isaac) ser o novo líder da Resistência marca o final do Episódio VIII, o que pode ajudar em uma solução para o Episódio IX. Além disso, vimos Leia usar a Força pela primeira vez nos cinemas. Mesmo com a afirmação da Lucasfilm, será possível que Leia retorne como um Espírito da Força recriada digitalmente para ajudar Rey a salvar Kylo Ren? Uma homenagem à atriz e personagem deve acontecer – nada mais justo.

via Vanity Fair

A Resistência sofre duras perdas em Os Últimos Jedi. Soldados são abatidos, recursos se tornam escassos, mas “a faísca que acenderá a chama que destruirá a Primeira Ordem” segue viva através de um grande símbolo constantemente presente na franquia Star Wars: a esperança. Sem Leia, podemos esperar a liderança de Poe Dameron (Oscar Isaac) para o último e fatal golpe contra o tirano exército de Kylo Ren, mas como este golpe será feito é a grande dúvida para o próximo filme. Será que veremos um discurso similar a Rogue One: Uma História Star Wars, onde justamente a esperança é a maior arma contra o mal?

Rose (Kelly Marie Tran) foi a grande peça em Os Últimos Jedi para mostrar a um pequeno jovem sensível à Força que a luta continua. Para Finn (John Boyega) e a pequena Resistência, apostar na esperança é algo previsível – já que está inserido na franquia -, mas não há nada de errado nisso. Como juntar forças suficientes contra a Primeira Ordem é uma grande incógnita, mas é possível especular sobre uma missão de infiltração dos heróis no coração inimigo – comparável a Rogue One. Um “heist” espacial daria novo fôlego à franquia e fugiria do óbvio. Com duas linhas de frente (Rey de um lado, personagens secundários de outro), a Resistência buscará por opções pouco óbvias para derrotar a Primeira Ordem. Sobre o pequeno jovem que manuseia a Força com uma vassoura, é justo dizer que foi um simples símbolo para demonstrar que Rey não é a única capaz de seguir os caminhos Jedi no futuro da saga.

via Lucasfilm

O Episódio IX de Star Wars certamente responderá a maioria das perguntas da nova trilogia e encontrará seu ápice ao solucionar todos os conflitos criados até então. A guerra entre Resistência e a Primeira Ordem apenas começou. Luke Skywalker não é mais o último Jedi. A esperança é a arma para vencer. Que a conclusão do capítulo final seja intensa e bela, digna de Star Wars.

About Author

Fascinado pela narrativa de J. R. R. Tolkien e pela evolução do entretenimento, encontra paz ao escrever sobre filmes, séries e games.

Deixe o seu comentário