Pokémon O Filme: Eu Escolho Você! – Crítica

0

É seguro dizer que Pokémon foi uma das maiores febres dos anos 90, senão a maior delas. Se até hoje muitas mães ainda chamam todos os monstros de bolso de “Pikachu”, isso deve-se aos diversos produtos estampados com a marca, sejam os brinquedos, os games, as miniaturas que vinham no guaraná e, é claro, os longas-metragens. Junto do anime, uma série de filmes animados – sendo os quatro primeiros lançados nos cinemas brasileiros – são parte importante dessa trajetória que completou 20 anos em 2016.

Como comemoração, foi anunciado Pokémon O Filme: Eu Escolho Você!, 20º longa da franquia, que recontaria o início da saga de Ash e Pikachu. A trama, familiar ao público, reapresenta Ash, garoto de 10 anos que almeja se tornar o maior mestre Pokémon, saindo em sua jornada e para isso, o garoto terá a companhia de Pikachu, que não aceita bem a presença do garoto, mas que virá a se tornar seu melhor amigo.

De cara, a tentativa de revitalizar a franquia é bem-executada, encontrando o ponto certo entre originalidade e homenagem, contando uma aventura completamente nova que coloca o protagonista frente-a-frente com lendário Ho-Oh, mas sem esquecer de remontar momentos chave da história, unindo alguns desses – como o desenvolvimento de Charmander, um dos preferidos dos fãs – com a nova trama, melhorando ainda mais o resultado final.

Visualmente primoroso, o longa sabe aproveitar bem as novas tecnologias, mas sem exageros, combinando perfeitamente a animação tradicional com efeitos digitais. O resultado concede uma nova dinâmica às batalhas e também às belas cenas em que vemos algum pokémon evoluir. O traço utilizado também se moderniza, mas sem se afastar do clássico e deve agradar mais os fãs do que o desenho utilizado em Pokémon: Sol e Lua, temporada mais recente do anime.

Apesar de momentos mais voltados ao público infantil, o filme possui passagens mais maduras do que as mostradas na série animada. Para tanto, tais momentos se refletem no protagonista, que consegue ser mais profundo aqui – com seus medos e inseguranças – do que o Ash já conhecido dos fãs. A relação com o novo rival, Cross, também é mostrada aqui de forma menos infantil e é através dela que o filme questiona a relação treinador-Pokémon, reforçando valores como respeito e amizade.

A escolha de mesclar pokémons de diferentes gerações também é interessante. Temos desde os pokémons clássicos com Ash, até alguns mais novos e ainda pouco conhecidos, como Lycanroc e Incineroar. Além de sempre vermos diversos outros monstrinhos em cenas, o que torna a experiência mais agradável para o fã mais antigo, que com certeza irá adorar fazer o exercício de “quem é esse Pokémon?” durante o longa.

Infelizmente, é esse mesmo fã que sentirá a ausência dos personagens Misty e Brock. Companheiros originais de Ash, a dupla fica fora do filme – algo já evidenciado pelo trailer – e a lembrança dos personagens resume-se a alguns segundos, já nos créditos finais. Outra falta sentida é a dos dubladores originais, já que a dublagem do filme é feita com as mesmas vozes das temporadas atuais do anime.

Superando as expectativas, Pokémon O Filme: Eu Escolho Você! surpreende, tanto pela qualidade da nova história, quanto por ser uma lembrança carinhosa da jornada de Ash e Pikachu. Desde a maravilhosa e nostálgica abertura do filme até a bela canção ao final, o brilho no olho do fã está garantido, mostrando que os monstros de bolso ainda têm espaço no coração de muitos treinadores por aí.

Confira o trailer dublado:

Avaliação Final

80%
80%
Muito bom

Pokémon O Filme: Eu Escolho Você! (2017)
(Pokémon the Movie: I Choose You!)
País: Japão | Classificação: Livre | Estreia: 5 de novembro de 2017
Direção: Kunihiko Yuyama | Roteiro: Satoshi Tajiri e Shôji Yonemura
Elenco: Unshô Ishizuka, Rica Matsumoto, Megumi Hayashibara, Shin'ichirou Miki

  • 4
  • User Ratings (0 Votes)
    0

About Author

“Os filmes existem, é por isso que eu assisto!” Não é exatamente um “crítico de cinema”, preferindo o termo “Filmmelier”. Quer ser o Homem-Aranha quando crescer. Acha que a vida não é sobre o quão forte bate, mas o quanto se aguenta apanhar. Mestre Pokémon, é da Grifinória e faz turismo na Terra Média.

Deixe o seu comentário